[Fechar]

.....
.....
expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quarta-feira, 12 de março de 2014

NOTA DE ESCLARECIMENTO

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Polícia Militar do Amapá, através do 4º Batalhão sediado no município de Santana, vem a público apresentar Nota de Esclarecimento referente ao episódio havido no dia 03 de março deste ano, que culminou na prisão do Sr. Heverson Castro.
No referido dia, a polícia militar recebeu noticiamento de prática delituosa, cujos infratores   promoviam bloqueio de via pública, utilizando-se de meios incendiários, ateando fogo em pneus e restos de madeiras, desta forma turbando a ordem pública, bem como cerceando do direito de ir e vir os cidadãos que por lá passavam.
Ao chegar ao local, o oficial designado para atender tal ocorrência policial, flagrou duas pessoas transportando pneus velhos para fomentar ainda mais o fogo que já dominava uma barricada formada por pedaços de pau e pneus em chamas.
De pronto, o oficial deu voz de prisão aos infratores. Momento em que o Sr. Heverson Castro, de forma áspera e com uso de expressões de baixo calão, interveio no legal cumprimento do serviço policial militar, apresentando-se como incentivador daquela prática, sob a escamoteada alegação de que se trava uma manifestação de cunho reivindicatório, pois havia déficit de energia naquela rua.
Recalcitrantemente, o Sr. Heverson Castro investiu contra a atuação dos policiais, novamente proferindo impropérios, e toda sorte de palavras ofensivas e depreciativas, em desfavor dos agentes do Estado, motivo pelo qual recebeu voz de prisão pelo crime de desacato; ao que, resistiu fisicamente a ordem legal, incorrendo desta feita, no crime de resistência, não restando outra alternativa técnica aos policiais, a não ser proceder o algemamento do Sr. Heverson Castro, como bem estabelece a súmula vinculante Nº11 do STF, segundo a qual faz necessário o uso de algemas quando há resistência ou para preservar a integridade física do próprio preso e dos agentes públicos. Tendo sido conduzido a presença da autoridade policial, para os procedimentos de Polícia Judiciária.
É de se ressaltar que a Polícia Militar não é contra as manifestações de caráter reivindicatório, que foram e sempre serão as molas propulsoras que impulsionam e vão impulsionar às autoridades públicas, em direção a busca de soluções a toda sorte de problemas que permeiam a sociedade aos tempos atuais. Entretanto, não só a Polícia Militar, como também, qualquer outro órgão comprometido com as garantias constitucionais que serve de base para a consolidação da democracia brasileira, jamais permitirá que grupos e pessoas com interesses escusos, valham-se de meios ilegais para impor suas vontades, como quis fazer o Sr. Heverson Castro.
Injustamente irresignado, o Sr. Heverson Castro tem atacado a honra objetiva e subjetiva de nosso oficial, através das redes sociais e outras formas de comunicação eletrônica, numa desesperada tentativa de macular, vilipendiar, achincalhar o bom nome desse tão bem conceituado militar, o qual estará demandando judicialmente o Sr. Heverson Castro, para ver reparado o dano moralmente provocado por este.
Apesar disso tudo e acreditando nos postulados constitucionais que se refere ao devido processo legal, a ampla defesa e ao contraditório, e com o fito de que dúvidas não mais pairassem acerca da atuação de nossos policiais, a Polícia Militar deixou abertas as portas de seu órgão correcional,  Corregedoria Geral de Polícia Militar, para que o Sr. Heverson Castro fizesse uso de seu direito constitucional de requerer uma justa e imparcial apuração sobre os fatos, o que já sendo feito pela corporação.
Assim sendo, a se comprovar o excesso, irregularidade ou mesmo ilegalidade por parte de nosso oficial ele será sancionado na medida de sua responsabilidade. Por outro lado, sendo corroborado o estrito cumprimento do dever legal, no que se refere esse lamentável episódio (apartadas as questões judiciais), que sirvam os fatos, ao menos, para reflexão sobre os limites da democracia, o pleno exercício da cidadania e acima de tudo o respeito aos legítimos defensores do Estado democrático de direito.
Quartel em Santana, Estado do Amapá, 10 de março de 2014.

AELINTOMI DO CARMO SOBRAL – TEM CEL QOC
Comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar



domingo, 2 de fevereiro de 2014

HOMICÍDIO NA PRAÇA

Por volta das 23 horas deste domingo, 02/02, aconteceu um homicídio na praça cívica de Santana, a vítima foi lesionada com uma facada no peito e morreu alguns minutos depois de dar entrada no hospital de emergências do município.
Assim que a central d 4º batalhão tomou conhecimento do homicídio a equipe comandada pelo SD M. Pantoja se deslocou para o local e testemunhas informaram que o acusado estava escondido na área do antigo Independente Esporte Clube. A Equipe recebeu o apoio da equipe comandada pelo SGT Aldemilson e conseguiram prender o Willian Souza dos Santos, 23, que reside na avenida Dom Pedro I, 1868, no bairro paraíso. Willian desferiu uma facada no peito da vítima Everaldo Figueira da Silva, 32, vulgo Everaldinho, que não resistiu ao ferimento e morreu logo depois de entrar no H.E. A faca usada no crime não foi encontrada pelos policiais.
Everaldinho já havia se envolvido em dois homicídios dentro do município de Santana, o ultimo foi dia 25/12/2010 quando ele desferiu uma facada no pescoço de Júlio Cesar Araújo Ferreira, vulgo Farofa, 19 anos de idade morador do bairro remédio II.
O acusado foi apresentado na central de flagrantes de Santana e falou aos policiais que desferiu a facada em Everaldinho porque o mesmo lhe agrediu com um tapa no rosto então ele levou a facada pra respeitar cara de malandro.
Everaldinho, 32, morto com uma facada no peito

Willian Souza, disse que não se arrepende do que fez







sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

DUPLA É PRESA COM ARMA DE FOGO

As equipes da UPC da área portuária prenderam dois indivíduos que estavam armados com uma arma de fogo tipo revolver. A dupla estava em um veículo e foi abordada próximo a praça da juventude na área portuária.
Alexandre Neto Pereira, 18, vulgo Xandi, e Rosiraldo da Costa Moreira, 21, vulgo Rosi ou boca de lata, foram abordados quando trafegavam numa pick up strada placas NER 7286 pertencente ao senhor Raimundo Antonio Almeida Pereira que é pai do Rosiraldo boca de lata.
Durante a busca feita pelos policiais no veículo, foi encontrado um revólver calibre 38 com 05(cinco) cartuchos intactos. Xandi assumiu ser o dono da arma e informou aos policiais que adquiriu a arma por R$ 1.000,00 de um indivíduos que veio de Belém e que se não fosse preso ele iria matar o Salomão Bentes Junior, vulgo Junior da Brasília que foi preso por uma equipe do 4º batalhão no dia 09/10/2013 por furto, receptação e tráfico de drogas. Segundo Xandi, Junior teria dado dois tiros atrás dele no ultimo domingo e como ele tinha informações de que o Junior estava no pagode ele estava seguindo pra lá para fazer o serviço.
Os policiais da UPC, SGT J da Silva, os SD's A Reis, Kelvin, Raulilson e Pelaes estavam na abordagem comandados pelo oficial de área do 4º batalhão o tenente Uchôa. A dupla foi apresentada na central de flagrante de Santana juntamente com a arma de fogo para as providências cabíveis.
Rosiraldo Moreira, conduzia o veículo

Alexandre Neto, vulgo Xandi, assumiu ser o dono da arma



Salomão Junior, vulgo Junior da Brasília. Seria morto por Xandi


veículo usado pela dupla



quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

QUADRILHA PRESA COM ARMAS DE FOGO

Por volta das 16 horas desta quarta feira, 22/01, uma quadrilha foi presa em Santana com três armas de fogo. Cinco indivíduos foram presos, um deles inclusive tem um mandado de prisão em seu desfavor.
A equipe comandada pelo SGT Aldemilson prendeu os indivíduos depois de uma denuncia anonima. Marcio da Conceição Carvalho, 30, de Tucuruí, Pará; Sandro da Trindade Vieira, 25, chegou hoje de Belém; Junielson de Almeida Pantoja, 37, é de Macapá e tem um mandado de prisão em seu desfavor, segundo ele por porte ilegal de arama de fogo; Roberto dos Santos Pinheiro, 50, também chegou hoje em Santana vindo do Pará e Leonaldo Castro Pureza, 42, é do município de Santana.
Uma mensagem no celular de Junielson mostra que a quadrilha tem mais integrantes. Sem duvida a intenção da quadrilha era fazer assaltos no estado. Todos foram apresentados na central de flagrantes de Santana.










Leonaldo Castro e Roberto Santos

Marcio Conceição

Sandro Trindade

Adicionar legenda



segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

IDOSA É PRESA VENDENDO DROGA

Uma senhora de 66 anos de idade foi presa por estar vendendo droga em Santana.
A equipe de rádio patrulha do 4º batalhão comandada pelo SGT Kleber Picanço foi acionada pela central do batalhão para averiguar a informação de que estariam vendendo droga na área de ponte da avenida brasília no bairro hospitalidade.  
Ao chegar no local a equipe encontrou o jovem Geanderson Silva Correia, 19, que saía da "boca" após comprar uma "cabeça" do produto. Depois de abordar Geanderson a equipe abordou a senhora Maria das Graças Matias da Silva, 66, que entregou as embalagens de droga. Foram apreendidos 5 papelotes de substância supostamente entorpecente tipo pó branco e mais duas porções de substância supostamente crack.  Foram apreendido dois aparelhos celular e R$ 161,00, em cédulas de 5  e 2 reais. Maria disse que é pensionista e recebe um salário mínimo. Todos foram conduzidos para a central de flagrantes de Santana.

Maria das Graças, 66 anos

o dinheiro apreendido

a droga apreendida

Geanderson, 19, estava comprando a droga


sábado, 18 de janeiro de 2014

CRIANÇA É VÍTIMA DE "BALA" PERDIDA

Por volta das 15 horas deste sábado, 18/01, uma criança de 12 anos de idade foi atingido por uma "bala perdida". O tiro atingiu a região occipital (nuca).
O menor L.O.C., 12, estava com o seu pai na rua Jose de Anchieta com a avenida Costa e Silva quando foi atingido por um tiro. Segundo testemunhas o tiro foi disparado por Joel Marques Pinheiro, 19, vulgo Erê. Ele atirou contra Ailson Silva e Silva, 21, e Michel Martel Dias,19. Erê errou o tiro que atingiu o menor que estava a uma quadra do local do disparo. O menor foi socorrido por populares e depois do primeiro atendimento no H. E. de Santana foi transferido em uma ambulância do SAMU para Macapá.
A equipe de rádio patrulha comandada pelo SGT Emanoel fez diligência no local e conseguiu prender Erê. A arma utilizada no crime não foi encontrada. Er^foi apresentado na central de flagrantes de Santana.

o menor sendo transferido pra Macapá



Erê, o autor do disparo

o RX mostrando o projétil